Curitiba / PR - sexta-feira, 21 de julho de 2017

Hipotireoidismo

Tireoide

O que é? 

É uma doença causada pela deficiência da produção dos hormônios tireoideanos. 

Este distúrbio acomete cerca de 1 a 3% da população em geral.

É a doença mais comum da tireóide. 

Como outras alterações da tireóide é mais comum em mulheres, mas pode ocorrer em qualquer indivíduo, independente do gênero ou idade. A faixa etária de maior incidência está entre os 40 e 60 anos. 

Pode ter uma relação familiar (atingindo varios membros de uma família). 


Causas

Na maioria das vezes é causado por uma inflamação denominada Tireoidite de Hashimoto, uma disfunção auto-imune.  A doença de Hashimoto tem traços genéticos e caracteriza-se pela produção exagerada de anticorpos pelo sistema imunológico que agridem a própria glândula, o que leva a diminuição da capacidade da tireóide em secretar hormônios. 

Mas também pode se manifestar após procedimentos cirúrgicos (pela retirada parcial ou total da glândula) ou após tratamento com iodo radioativo. 

Uma outra causa, porém muito mais rara, são as alterações decorrentes das doenças da hipófise, que leva a redução da produção do TSH (hormômio tireoestimulante). 


Sintomas

  • Cansaço Excessivo
  • Sonolência Excessiva

  • Dores Musculares

  • Pele Seca                                                                    

  • Queda de Cabelo

  • Intestino Preso

  • Menstruação Irregular

  • Alteração da Memória  

  • Ganho de peso (geralmente discreto) 

  • Aumento dos niveis de Colesterol

  • Intolerância ao Frio

  • Depressão 
  • Inchaço nas pernas ou ao redor dos olhos 


Diagnóstico 

O hipotireoidismo pode ser facilmente diagnosticado através de exames de sangue. Os exames que ajudam o diagnóstico são o TSH (um hormônio produzido pela hipófise e que estimula o funcionamento da tireóide) e a dosagem de hormônios tireoideanos (T3 e T4).


Tratamento

O tratamento é feito com a reposição oral do hormônio específico (levotiroxina- T4), uma vez ao dia, preferencialmente em jejum pela manhã. Esse medicamento repõe o que a tireóide deixou de secretar. A dosagem deve ser individualizada. 

O tratamento é de longo prazo, mas como a dose necessária pode variar com o tempo, o acompanhamento médico periódico deve ser rigorosamente seguido.